:: Deficiência intelectual e múltipla

 

 

O que é?

 

Segundo o Ministério da Saúde, "uma pessoa pode apresentar deficiência física, auditiva, visual, mental ou intelectual, ou múltipla. A deficiência pode ser percebida já no nascimento de uma criança, ou pode ser adquirida ao longo da vida da pessoa. Pesquisas revelam que muitas dessas ocorrências poderiam ter sido evitadas ou amenizadas através de ações de proteção e prevenção.

 

Quanto à deficiência Intelectual, a definição mais completa é a da Associação Americana sobre Deficiência Intelectual no Desenvolvimento, a AAIDD, que diz que a deficiência intelectual "caracteriza-se por um funcionamento intelectual inferior à média (QI), associado a limitações adaptativas em pelo menos duas áreas de habilidades (comunicação, autocuidado, vida no lar, adaptação social, saúde e segurança, uso de recursos da comunidade, determinação, funções acadêmicas, lazer e trabalho), que ocorrem antes dos 18 anos de idade."

 

Na prática, a pessoa com deficiência intelectual geralmente tem comportamentos típicos de uma pessoa com menos idade e sente dificuldade em desempenhar atividades corriqueiras, além de possuir limitações no aprendizado e no entendimento.

 

A deficiência múltipla é a ocorrência de duas ou mais deficiências simultaneamente - sejam deficiências intelectuais, físicas ou ambas combinadas. Não existem estudos que comprovem quais são as mais recorrentes.

 

As causas podem ser pré-natais, por má-formação congênita e por infecções virais como rubéola ou doenças sexualmente transmissíveis, que também podem causar deficiência múltipla em indivíduos adultos, se não tratadas.

 

Segundo a Associação Brasileira de Pais e Amigos dos Surdocegos e dos Múltiplos Deficientes Sensoriais (Abrapascem), o modo como cada deficiência afetará o aprendizado de tarefas simples e o desenvolvimento da comunicação do indivíduo varia de acordo com o grau de comprometimento propiciado pelas deficiências, associado aos estímulos que essa pessoa vai receber ao longo da vida.

 

 

Como previnir?

 

São considerados fatores que influenciam na incidência da deficiência intelectual:

  • Genética

  • Falta de acompanhamento durante a gravidez, como é o caso do Pré Natal

  • Fatores que definem a saúde da mãe durante a gravidez

 

Para isso é preciso que alguns cuidados sejam tomados para diminuir a incidência ou as consequências da deficiência intelectual, como:

 

  • Fazer uma série de exames antes de engravidar, como é o caso do aconselhamento genético, que busca casos de deficiência intelectuais na família. Estes exames também devem ser feitos caso à futura mamãe tenha 35 anos ou mais.

  • Fazer o Pré Natal, com acompanhamento médico, fiscalizando periodicamente a saúde do feto.

  • Evitar fazer o uso de bebidas alcoólicas, cigarro e outros tipos de drogas durante toda a vida, sobretudo durante a gravidez.

  • Logo após o nascimento do bebê, é obrigatório que se faça o teste do pezinho, afim de detectar precocemente doenças que, se não forem tratadas, poderão acarretar numa deficiência intelectual.

  • Estar com o calendário de vacinação sempre em dia.

  • Viver em ambiente salubre, tendo sempre alimentação saudável e vivendo em ambiente estimulador.

  • É essencial que se procure um médico ao notar qualquer déficit de aprendizado, desenvolvimento ou crescimento no bebê.

 

 

Como diagnosticar?

 

A família deve estar sempre atenta à sinais que o bebê dá como a demora em se sentar, ou simplesmente firmar a cabeça. Algumas crianças demoram muito para falar ou andar, além de não compreender a fala de alguém e ter dificuldade no aprendizado. É necessário que um médico seja procurado imediatamente para que seja verificado se há alguma deficiência intelectual ou se apenas o tempo biológico do bebê é diferente da maioria das crianças.

O diagnostico de uma criança com deficiência intelectual é algo bem complexo pois exige que diversos fatores sejam analisados. É preciso, por exemplo, que se leve em consideração fatores genéticos, ambientais e sociais em que a criança vive e essa análise deve ser feita por diversos profissionais como médicos e psicólogos.

 

 

Como tratar?

 

É necessário que se saiba que a Deficiência Intelectual não é uma doença e sim uma limitação. E para que a pessoa que possui essas limitações é necessário que haja acompanhamento de um médico e também de terapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas.

Este acompanhamento visa o progresso em suas habilidades motoras e mentais, garantindo bem estar e inclusão social.

 

A pessoa com Deficiência Intelectual tem os mesmos direitos que todos os outros cidadãos, assegurados pela Constituição Federal do nosso país: direito à vida, liberdade, igualdade, não discriminação, segurança, propriedade, educação, saúde, trabalho, moradia, lazer, previdência e assistência social, entre outros.

Direitos e benefícios

 

Todas as pessoas com deficiências intelectuais são cidadãos plenos, iguais perante a lei e como tais devem exercer seus direitos com base no respeito nas diferenças e nas suas escolhas e decisões individuais. O direito a igualdade para as pessoas com deficiência intelectual não se limita à equiparação de oportunidades, mas requerem também, se as próprias pessoas com deficiência intelectual o exigem, medidas apropriadas, ações afirmativas, adaptações ou apoios. O Estado devem garantir a presença, a disponibilidade, o acesso e utilização de serviços adequados que sejam baseados nas necessidades, assim como no consentimento informado e livre destes cidadãos e cidadãs.

 

 

DOAR AGORA!